O treinamento psicológico no futebol


Por Matheus Padilha

-

Postado

-

Atualizado em

O treinamento psicológico no futebol, também conhecido como treinamento mental ou treinamento de habilidades psicológicas é a prática de habilidades mentais de forma sistemática visando melhorar o desempenho, prazer ou satisfação na prática esportiva.

Essas práticas foram desenvolvidas através dos estudos em Psicologia do Esporte. Essa especialidade da Psicologia se dedica a estudar pessoas e seus comportamentos em atividades esportivas e físicas. Nos esportes, o treinamento é baseado em dimensões: tática, técnica e física. E a dimensão psicológica abrange essas outras, visto que não há como se trabalhar com seres humanos sem levar em conta as questões psicológicas.

Cada esporte possui características únicas e, por isso, esse tipo de treinamento pode variar bastante. No caso do futebol algumas habilidades são mais importantes, como atenção, concentração e controle emocional, por exemplo. Nesse sentido existem métodos e técnicas que ajudam a desenvolver cada uma dessas habilidades, de acordo com a necessidade de cada jogador.

Aplicação do treinamento psicológico

Dentro do esporte a preparação psicológica é compreendida como uma prática sistemática, ou seja, ela é trabalhada em regime de treinamento, de forma constante. Existem métodos e técnicas que auxiliam no desenvolvimento das chamadas habilidades psicológicas.

Essas técnicas permitem que atletas desenvolvam uma série de habilidades essenciais para a prática esportiva. Alguns exemplos dessas habilidades são: concentração, atenção, controle do estresse e da ativação. Quando esse treinamento ocorre de maneira organizada dentro do plano da equipe, os atletas conseguem realizar um processo chamado de autorregulação. Em outras palavras, é quando o atleta consegue trabalhar por objetivos de curto e longo prazo, monitorando e controlando efetivamente os pensamentos, sentimentos e comportamentos.

A preparação psicológica ou treinamento psicológico para um jogo de futebol é como a preparação física. Não adianta realizar alguns exercícios antes do jogo se você não está em uma rotina de treinamento. Frases motivacionais, tentativas de relaxamento e outras ações comuns podem não surtir efeito ou ainda causar um efeito negativo no aspecto psicológico dos atletas.

Foto de Mica Asato no Pexels

Para quem o treinamento é indicado?

Você já deve ter visto jogadores mais “esquentados”, outros mais “sonolentos” ou dispersos em campo. Esses comportamentos podem ser sinais de que os jogadores estejam com dificuldades de manter a concentração no jogo, ou em controlar os níveis de ativação, por exemplo. Essa é uma explicação do porquê dos fatores psicológicos serem considerados os principais responsáveis pelas oscilações de desempenho.

Por outro lado não se deve pensar que o treinamento de habilidades psicológicas é indicado apenas para atletas problemáticos ou que apresentem baixo rendimento. Esse tipo de treinamento é de grande valia para todos os atletas pois desenvolver essas habilidades potencializa o rendimento.

Cada atleta sente e interpreta as situações de jogo à sua própria maneira. Por isso as técnicas e métodos devem ser individualizados. É necessário identificar as necessidades, planejar as intervenções necessárias e realizar ações de maneira adaptada. Dessa forma a preparação psicológica surtirá efeito positivo no rendimento durante um jogo de futebol.

O que mais a Psicologia do Esporte oferece ao futebol?

Além do treinamento psicológico no futebol para jogos e competições, a Psicologia do Esporte tem muito mais contribuições para o futebol. Uma delas é o Psicodiagnóstico, que é a avaliação psicológica do atleta. Essa avaliação ajuda a estabelecer perfis de personalidade que por sua vez ajudam a direcionar treinamentos ou formas de tratar/agir com cada atleta. Como dito anteriormente, cada atleta responde melhor a uma maneira particular.

Existe ainda a possibilidade de integração entre comissão técnica e Psicologia para o desenvolvimento de treinamentos analíticos. São treinos que desenvolvam em integração aspectos psicológicos e físicos/técnicos/táticos. Um exemplo são os treinos voltados para o desenvolvimento da tomada de decisão.

Seja no esporte de alto rendimento, que é o futebol profissional, ou nas categorias de base a Psicologia se faz necessária. Tanto nos aspectos esportivos quanto para a promoção de um desenvolvimento mais saudável para crianças e adolescentes.

E engana-se quem acredita que o Psicólogo no contexto do futebol só trabalha com atletas. Além de atletas e comissão técnica, são realizadas ações com as famílias dos atletas (como no acompanhamento dos atletas na pandemia ou na adaptação de um atleta recém-chegado). Ações integradas com fisioterapeutas, no caso de lesionados, percebendo os impactos psicológicos da situação. Ações com nutricionistas, com fisiologistas, e demais funcionários do clube que possam trazer demandas.

O trabalho de preparação psicológica é, portanto, apenas um ramo dentro da atividade que pode ser desenvolvida pelo Psicólogo em um clube de futebol. E esse trabalho é necessariamente interdisciplinar, visando as necessidades tanto dos clubes quanto dos atletas.

Não deixe de conferir nos links abaixo com nossos materiais sobre o trabalho psicológico no futebol. Tenho certeza que você irá aprender muito.

Referências

Publicações sobre o assunto podem ser encontradas na Revista Brasileira de Psicologia do Esporte (RBPE).

Sobre o treinamento mental específico do futebol, um excelente livro é “Entrenamiento mental en el fútbol moderno: Herramientas prácticas de Marcelo Roffé y Santiago Rivera.


Autor:
Instagram: @28padilha

Gostou dos conteúdos do Ciência da Bola? Deixe seu e-mail e lhe enviaremos mais.


Deixe seu comentário