A mentalização no treinamento de futebol


Por Matheus Padilha

-

Postado

-

Atualizado em

A mentalização no treinamento de futebol pode ajudar no desenvolvimento dos atletas de várias maneiras. À primeira vista pode parecer que não tem tanta aplicação prática num jogo de contato. No entanto sua utilização pode se aliar a treinamentos táticos, técnicos e até físicos. Mas por que usar esse tipo de treinamento?

A redução do espaço efetivo de jogo ao longo do tempo é uma característica que pode ser percebida pela evolução tática do futebol. A proximidade entre os jogadores diminuiu o tempo de tomada de decisão. Dessa forma, o jogo ficou mais veloz e dinâmico do que se apresentava em décadas passadas. Essa evolução tática requereu um desenvolvimento técnico cada vez maior. Isso porque além de tomar decisões mais rápido, o atleta precisa executar o gesto técnico com maior qualidade. Como o treinamento de habilidades psicológicas (THP) pode ajudar nesse contexto?

O que é mentalização?

Atualmente existem vários métodos e técnicas que podem auxiliar um jogador de futebol nesse contexto dinâmico. A mentalização também é conhecida como visualização, ensaio mental, ensaio simbólico, treino encoberto, e treino mental. Essa técnica se refere à criação ou recriação de uma experiência na mente. Assim sendo, percebemos que ela pode ter várias funções. Ela pode ser útil em períodos de treinamento, bem como de competição e reabilitação. Algumas dessas funções são: melhorar a concentração; aumentar a motivação; desenvolver a confiança; controlar respostas emocionais; adquirir, praticar e corrigir habilidades técnicas; preparar-se para a competição; enfrentar dores e lesões; e solucionar problemas.

Foto: (Leo Lee/Pixabay)

Mentalização no treinamento de futebol e o gesto técnico

No contexto citado no parágrafo inicial, a mentalização pode ser aplicada para assimilar ou aprimorar o gesto técnico. Ela pode abreviar e melhorar o tempo de aprendizagem. Um exemplo disso é o uso da mentalização das diferentes fases de execução de um cabeceio. Outra função relacionada ao gesto técnico é aumentar a precisão de um movimento. Por exemplo, o ajuste mental das sensações e postura corporal que devem ser realizadas para um chute ideal. Além destas, revisar mentalmente uma habilidade para perceber algum possível erro ou falha, pode ajudar no treinamento. Assim, quando ocorrem problemas recorrentes na execução de algum gesto técnico, a mentalização pode auxiliar a detectar o erro.

Outras funções da mentalização no treinamento de futebol

No treinamento das habilidades psicológicas, a mentalização pode ajudar no controle da ativação e do estresse. A ativação é uma combinação de atividades fisiológicas e psicológicas em uma pessoa e refere-se a dimensões de intensidade da motivação em determinado momento. Em outras palavras, a ativação é um continuum que vai de nem um pouco excitado (comatoso) a extremamente excitado (frenético). O estresse é definido como “um desequilíbrio substancial entre demanda (física e/ou psicológica) e capacidade de resposta, sob condições em que deixar de satisfazer tal demanda tem importantes consequências”. Isso quer dizer que há uma situação-problema, a capacidade de resolução é menor e a importância da situação é alta.

Na prática…

Um estudo feito com jogadores de futebol juvenil que foram submetidos a treinamentos com mentalização mostrou resultados positivos. Durante o estudo 3 atletas foram analisados sob o ponto de vista técnico, através de scout que conferia o percentual de acerto de passes. Ao mesmo tempo era feita outra medição, da frequência cardíaca, fator que pode ser controlado através de técnicas de mentalização. Em suma, o estudo revelou que os atletas melhoraram a precisão dos passes, o que indica uma melhora no gesto técnico. E, simultaneamente, que conseguiram manter os níveis de ativação condizentes com os necessários em um jogo de futebol.

Como funciona a mentalização no treinamento de futebol?

A mentalização no treinamento de futebol é explicada por algumas teorias que tem efetividade comprovada em estudos. Seguem as principais:

  • A teoria psiconeuromuscular, que basicamente afirma que mentalizar facilita a aprendizagem de habilidades motoras devido à natureza dos padrões de atividade neuromuscular ativados durante a mentalização. Ou seja, os eventos mentalizados estimulam os músculos a exemplo da parte física do movimento.
  • A teoria da aprendizagem simbólica, que indica que a mentalização ajuda os indivíduos a entender e adquirir padrões de movimento.
  • A teoria bioinformativa, que traz a definição das proposições de estímulo e resposta. Para essa teoria, as proposições de estímulo são enunciados que descrevem aspectos do cenário a ser mentalizado. Já as de resposta descrevem a resposta da pessoa que mentaliza e visa produzir atividade fisiológica.
  • O modelo de código triplo, que define três efeitos fundamentais da mentalização: a imagem, a resposta somática e o significado. A relação entre essas três variáveis cria os diferentes efeitos de uma mesma visualização em diferentes pessoas.
  • A explicações psicológicas da mentalização baseiam-se no conjunto atenção-ativação. Essas teorias afirmam que a mentalização funciona como um conjunto preparatório que ajuda a alcançar um nível de ativação ideal. Esse nível permite que o atleta se concentre em sinais relevantes à tarefa e desconsidere sinais irrelevantes. Outra explicação psicológica é a de que a mentalização ajuda a aumentar a confiança e a concentração e a diminuir a ansiedade.

Em síntese, todas as teorias possuem alguma validação através de estudos e explicam o funcionamento do mentalização.

Foto: (MStaudasher/Pixabay)

Como realizar um programa de mentalização?

A mentalização no treinamento do futebol tem várias funções e pode ser utilizada em vários contextos dentro do esporte de alto rendimento. Dessa forma é importante ressaltar, porém, que a aplicação desta técnica requer um profissional qualificado. Apesar de parecer simples, a técnica possui peculiaridades que devem ser observadas.

A implementação de um programa de treinamentos que incluem a mentalização necessita de um planejamento. Existem três fases: a fase educativa, a fase de aquisição e a fase prática. As habilidades devem ser aprendidas e praticadas. Dessa forma pode-se esperar resultados positivos com esse treinamento. Trabalhar as habilidades psicológicas no esporte requer constância. As atividades devem ocorrer tanto na pré-temporada, quanto durante a competição e após seu término. Dessa forma as avaliações dos resultados podem ser melhor observadas.

Agora veja este vídeo com um exemplo básico de visualização no treinamento de futebol.

Por fim, não deixe de conferir nos links abaixo com nossos materiais sobre o trabalho psicológico no futebol. Tenho certeza que você irá aprender muito.

Referências

Entrenamiento mental en el fútbol moderno: Herramientas prácticas de Marcelo Roffé e Santiago Rivera.

Fundamentos da Psicologia do Esporte e do Exercício” de Robert Weinberg e Daniel Gould

Contato do autor – Instagram: @28padilha

Foto de Capa: (RoboMichalec/Pixabay)

Gostou dos conteúdos do Ciência da Bola? Deixe seu e-mail e lhe enviaremos mais.


Deixe seu comentário