Fale com nossa equipe

A nutrição no futebol profissional

Por: Otávio Henrique Ferreira

Postado

-

Atualizado em

Considerada um dos pilares para o desempenho esportivo, a nutrição no futebol já conquistou seu espaço. Sendo assim, a partir de hoje convido você praticante do esporte, curioso ou entusiasta da área, a entender um pouco mais sobre a nutrição no futebol.

Primeiramente, falaremos um pouco sobre o sistema energético no futebol de campo e a necessidade dos nutrientes presentes na alimentação de um jogador. 

Tombense F. C.
Fotógrafo: Victor Souza

O que é bioenergética (Macronutrientes)

Resumidamente, a bioenergética, nesse contexto, significa saber qual o melhor combustível, ou seja, o melhor nutriente/alimento para o tipo de exercício físico que será realizado. Além do volume, entende-se que a intensidade vem a ser o fator determinante de escolha do sistema energético pelo seu corpo para uma atividade em específico.

No grupo dos macronutrientes, possíveis fontes de energia ao longo do jogo, temos:

Carboidrato

Em atividades com esforços de alta intensidade e explosões, como é o caso do futebol, faz-se indispensável a presença deste macronutriente. Bons estoques de glicogênio (forma de armazenamento do carboidrato nos músculos e fígado), evidenciam uma melhora bastante significativa do desempenho. Dessa forma, o jogador de futebol deve ter seu cardápio formado por 70% ou mais de carboidratos.

Proteína

Ao término de uma partida, o estado muscular dos atletas passa por um processo inflamatório. Sendo assim, iniciamos a recuperação para que possamos contar com o jogador em sua melhor forma no jogo seguinte. Portanto, as proteínas são fundamentais para reparar os danos musculares sofridos durante o jogo.

Lipídeo

Além de auxiliar no sistema imune, as gorduras são importantes fontes de energia, principalmente em atividades físicas de longa duração.

Além dos macronutrientes, temos também os micronutrientes, que são essenciais para promover um bom desempenho em campo, apesar de não serem mobilizados como energia. Abaixo falaremos sobre alguns pontos que devem ser observados quanto aos micronutrientes.

Micronutrientes

Quando tratamos de indivíduos não-atletas, ofertamos os micronutrientes, como vitaminas e minerais, em quantidades adequadas para uma dieta saudável e equilibrada, salvo algumas exceções. Porém, é necessária uma atenção maior em indivíduos atletas, devido a alguns pontos essenciais:

  • Os atletas precisam ter uma ingestão mais regrada e isolada. Os suplementes surgem para auxiliar na rotina corrida e severa. Em alguns casos, essa rotina pode levar o indivíduo a não realizar algumas refeições, algo que desfavorece a oferta de vitaminas;
  • Suor excessivo que pode gerar deficiência de alguns minerais;
  • Não ingestão da quantidade adequada de água, que, normalmente, é significativamente acima da média de indivíduos normais.

Dessa forma, estar atento a exames com dosagens de vitaminas e minerais é fundamental para contribuir com o rendimento de jogadores de futebol, visto que, tanto a falta quanto o excesso podem causar prejuízos ao organismo.

E, por último, mas não menos importante,  citaremos a hidratação como fator determinante para um bom desempenho em campo:

Água

Os nutricionistas esportivos devem olhar com bastante cuidado para a hidratação, pois, dependendo do nível, o praticante do esporte poderá estar perdendo de 20% a 30% de performance relacionada à diminuição da capacidade motora e cognitiva. Além disso, também pode haver diminuição da capacidade de concentração, aumento da percepção do cansaço e as indesejáveis câimbras. Portanto, o atleta deve ingerir a quantidade de água pré-estabelecida em cálculos minuciosos.

Contatos do autor:

Instagram: @otaviohenriquenut
E-mail: otavioh12@live.com

Gostou dos conteúdos do Ciência da Bola? Deixe seu e-mail e lhe enviaremos mais.


Deixe seu comentário