Fale com nossa equipe

História do futsal – parte 2

Por: Tássio Sardinha

Postado

-

Atualizado em

A princípio, se o leitor ainda não conhece a primeira parte deste texto, indicamos a leitura de História do Futsal (parte 1) – Criação e institucionalização do Futebol de Salão, para conseguir compreender mais facilmente a ordem cronológica dos fatos aqui expostos sobre a história do futsal.

Antes de mais nada, precisamos citar que em 1974, João Havelange – então presidente da Confederação Brasileira de Desportos (CBD) e da Federação Internacional de Futebol de Salão (FIFUSA) –, por motivos que vão além do objetivo do texto, assumiu a presidência da Federação Internacional de Futebol (FIFA). Posteriormente, em 1979 ocorreu a extinção da CBD.

Dessa maneira, tais acontecimentos exigiram uma reorganização institucional do Futebol de Salão no Brasil. Nesse contexto, também em 1979, houve a criação da Confederação Brasileira de Futebol de Salão (CBFS).

História do Futsal (futebol de salão) e sua ascensão no Brasil e no Mundo

No início da década de 1980, Januário D’Aléssio Neto – então dirigente da Sociedade Esportiva Palmeiras – assumiu a presidência da FIFUSA. De antemão, foi sob o comando do novo presidente que o Futebol de Salão expandiu-se no cenário internacional, devido à constituição de competições importantes para a modalidade. Por exemplo, o 1º Pan Americano de Futebol de Salão, disputado no México, com as participações de Brasil, México, Paraguai, Uruguai, Argentina, Bolívia e Estados Unidos – com o Brasil sagrando-se campeão. 

Posteriormente, em 1982, ocorreu o 1º Campeonato Mundial de Futebol de Salão, em São Paulo. Ele contou com a participação de 10 países, cujo campeão foi o Brasil. Sobre isso podemos destacar a grande cobertura dos meios de comunicação da época acerca do evento. Ainda nessa linha, é importante ressaltar o clima eufórico que se estabelecera, muito pela proximidade entre as datas dos mundiais de Futebol de Salão e Futebol – o mundial de Futebol de Salão ocorreu, aproximadamente, 1 mês antes da Copa do Mundo de Futebol de 1982.

Imagem1. Seleção Brasileira, campeã do Campeonato Mundial de Futebol de Salão, em 1982.

Nesse sentido, o Futebol de Salão era compreendido como um “subproduto” do Futebol, dado que naquele momento, o Brasil já era considerado o “país do Futebol”, visto que a seleção canarinho era detentora de 3 Copas do Mundo. Portanto, com a conquista do mundial de Futebol de Salão pela seleção brasileira, a expectativa para a Copa do Mundo de Futebol, que já era grande, ficou ainda maior.

Quadro 1 – Ano, países-sede, campeões e vice-campeões dos mundiais realizados pela FIFUSA

Interesse da FIFA pelo Futebol de Salão

Devido à grande repercussão do primeiro mundial da modalidade, a FIFA despertou interesse pelo Futebol de Salão. Assim, ocorreu uma aproximação entre João Havelange e Januário D’Aléssio, presidentes de FIFA e FIFUSA respectivamente, de modo a conseguir uma possível incorporação do Futebol de Salão ao quadro da FIFA. Contudo, as conversas não avançaram.

Dessa maneira, a FIFA passou a criar dificuldades para os eventos organizados pela FIFUSA, chegando ao ponto de proibir a utilização do termo “futebol”, pois, segundo a FIFA, somente ela possuía esse direito.

[…] o próprio termo “futsal” foi originalmente cunhado pela FIFUSA em reação a esta proibição da FIFA. Esse termo utilizado pela FIFUSA tinha hífen (fut-sal), sendo uma abreviação de “fútbol sala”, tradução do Espanhol para futebol de salão. Todavia, curiosamente, o nome acabou sendo adotado mais tarde pela própria FIFA, sem o hífen. Tornando-se, assim, associado à forma a qual o esporte adquiriu sob a autoridade desta entidade (VICARI, 2015, p. 42).

Nesse meio tempo, outra ofensiva da FIFA frente à FIFUSA foi a criação do Fut-Five (futebol de cinco), o qual se apropriava de característica do Futebol (bola) e do Futebol de Salão (espaço de jogo).

Por outro lado, a década de 1980 ainda viu mais 2 mundiais organizados pela FIFUSA, sendo eles: em 1985, na Espanha, onde novamente o Brasil sagrou-se campeão, e em 1988, na Austrália, onde o Paraguai conquistou seu primeiro título.

Posteriormente ao término do mundial de 1988, a FIFA buscou junto à FIFUSA um novo acordo, a fim de comandar o Futebol de Salão internacionalmente, porém, a investida careceu de sucesso.

Assim, sem acordo com a FIFUSA, a FIFA, em janeiro de 1989, resolveu promover o primeiro mundial de Fut-Five, com a participação de 16 países. Dessa forma, o evento teve como sede os Países Baixos, onde a modalidade era popular.

A história do futsal que conhecemos atualmente

A seleção brasileira de Futebol de Salão não pôde participar da primeira copa do mundo de Fut-Five, devido sua filiação à FIFUSA. Contudo, o presidente da CBFS na época, Álvaro Melo Filho, autorizou a equipe do Bradesco a representar o Brasil no mundial promovido pela FIFA.

Após o mundial, houve reuniões entre FIFA, FIFUSA e CBFS para oficialização da prática do Fut-Five. Dessa forma, em março de 1989, o Futsal foi criado e a modalidade passou a ser regida mundialmente por uma comissão permanente da FIFA. Além disso, precisamos destacar que o mundial de Fut-Five ficou conhecido como 1ª Copa do Mundo de Futsal.

Quadro 2 – Ano, países-sede, campeões e vice-campeões dos mundiais realizados pela FIFA

A princípio, a atualização da semântica se deu porque estudiosos consideraram que a palavra Futsal teria facilidade quanto à pronúncia em todas as partes do mundo, sobretudo no Oriente – onde o esporte não era muito popular. Além disso, houve mudanças estruturais e funcionais da modalidade, por exemplo:

  • A quadra;
  • Tamanho e o peso da bola;
  • A cobrança de lateral e de tiro de canto, que passaram a ser realizada com o pé, e não mais com as mãos;
  • O goleiro passou a atuar, também, fora da área de meta;
  • Possibilidade de marcar gol dentro da área de meta.

Essas alterações configuram-se como provenientes à oficialização do Futsal pela FIFA.

Extinção da FIFUSA

Ao segundo dia o mês de maio de 1990, a CBFS, sob a presidência de Aécio Borba de Vasconcelos, com o aval de 26 federações estaduais filiadas à confederação nacional, comunicou em carta o desligamento oficial do Brasil perante à FIFUSA.

Assim, sem a principal seleção em seu quadro de afiliados, a FIFUSA foi extinta após reunião com a presença de representantes de 19 países. Desse modo, a FIFA foi nomeada como única responsável pelo Futsal ao nível mundial. No entanto, apesar da vinculação à FIFA, a CBFS – bem como as federações estaduais – não revisou seu nome, permanecendo com o termo “Futebol de Salão” presente em sua nomenclatura.

Por outro lado, é importante destacarmos que apesar de todos ataques, o Futebol de Salão não deixou de existir. Desse modo, a Associação Mundial de Futsal (AMF) é a entidade responsável pela gestão do Futebol de Salão mundialmente, cujo objetivo principal é regular a prática da modalidade a partir das regras adotadas pela extinta FIFUSA.

História do futsal até aqui

À primeira vista, salientamos que Futsal não é sinônimo de Futebol de Salão, pois, apesar de uma prática ser decorrente da outra, há diferenças, sobretudo regimentares, que diferem significantemente as modalidades.

Do mesmo modo, cabe lembrarmos que enquanto o Futsal é regido internacionalmente pela FIFA, a entidade responsável pelo Futebol de Salão é a AMF. Sobre esta última, é curioso notarmos que apesar de se responsabilizar pelo Futebol de Salão, a AMF leva o termo “Futsal” em sua nomenclatura.

Por fim, não obstante a oficialização da prática do Futsal ocorrer em meados de 1990, fazemos notar os fundamentos que norteiam tal fato a partir do contexto histórico que apresentamos nesses dois textos.


Ainda sobre o futsal, escute nosso podcast com o treinador Paulinho Cardoso.


REFERÊNCIAS

Imagem de capa: gauchazh.com.br


Contatos do autor:
E-mail: tassiosardinha@gmail.com
Instagram: @tsardinha1

Gostou dos conteúdos do Ciência da Bola? Deixe seu e-mail e lhe enviaremos mais.


Deixe seu comentário